A capacidade de se reinventar contribuiu para que a Videorreportagem no Amazonas extrapolasse os limites das redações de TVs e portais para inovar também no processo comunicativo das assessorias de imprensa. Um dos exemplos de utilização dessa nova faceta é o trabalho realizado desde março de 2013 pela Câmara Municipal de Manaus (CMM), que contratou um videorrepórter e passou a produzir material exclusivo para o site e o canal da casa no Youtube.

Divulgação CMM 03 Fotos (na matéria e na chamada): Divulgação/CMM

Já são mais de 114 vídeos produzidos desde março de 2013 ao começo de agosto deste ano, que ultrapassam 8,6 mil visualizações. De acordo com a diretora de comunicação da Câmara e idealizadora do projeto, Tereza Teófilo, a ideia surgiu da necessidade de dar uma cara nova à comunicação da Casa, que passa por um momento de renovação.

“Como na CMM não havia nenhum trabalho efetivo voltado para as redes sociais e o site não oferecia nenhum atrativo para quem navegava no conteúdo, decidimos apostar na videorreportagem como uma ferramenta que pudesse passar a informação para o publico externo e interno, atrair esse público para esses espaços, fortalecendo a imagem da CMM junto a essas mídias, e com isso atrair o interesse das pessoas para a política utilizando recursos de qualidade de áudio e vídeo.”, explicou.

Tereza lembrou ainda que, no início, o trabalho era realizado com a câmera pessoal do Presidente da Casa. Robson Loureiro, o videorrepórter contratado, editava os vídeos com o próprio notebook. Somente a partir de abril de 2013 os equipamentos foram adquiridos pela assessoria por meio de licitação. Além da câmera Rebel T4i, o VR passou a contar com um microfone “Boom”, um grip e dois cartões Micro SD de 32 Gb. Eventualmente, um led pequeno e um monopé também são utilizados.

As videorreportagens produzidas pela assessoria da Câmara duram, em média, de um a dois minutos e meio, e possuem uma linguagem simples. “Trabalhamos com textos curtos e objetivos, sem a complexidade dos termos técnicos comuns do vocabulário legislativo. Introduzimos off e imagens internas no plenário e externas, além de sonoras com os parlamentares, especialistas e população”, informou a diretora. O feedback da população diante do trabalho legislativo, aliás, é uma das novidades do trabalho.

“Buscamos introduzir reação da população diante das propostas defendidas pelos vereadores e os fatos ocorridos na cidade em que a CMM estava inserida, expondo sempre os dois lados: situação e oposição”. Segundo Tereza, isto faz parte de uma estratégia para mostrar que as principais decisões de uma cidade são tomadas dentro da Câmara Municipal de Manaus, e que muitas delas só estão hoje em prática porque houve uma discussão e uma decisão dos vereadores.

O material produzido é publicado no canal da Câmara no YouTube. O processo de divulgação das videorreportagens é reforçado no site institucional e na página da CMM no Facebook. A estratégia contribuiu para que a assessoria chegasse ao segundo semestre de 2014 comemorando as mais de 8,6 mil visualizações dos videos. Na opinião de Tereza Teófilo, as videorreportagens foram apostas que deram certo, e a previsão para este ano é que o projeto cresça.

“Tivemos problemas de infraestrutura no começo, mas conseguimos superar com a chegada dos equipamentos. A contratação do videorrepórter deixou os demais profissionais da área da televisão mais espertos em relação a produção. Os resultados dessa experiência foram repassados aos assessores dos vereadores para que os mesmos tivessem a mesma capacidade de produção. Para os próximos meses, pretendemos contratar mais um profissional”, avaliou.

Processo Produtivo

De acordo com Robson Loureiro, videorreporter da CMM, a definição da pauta para a videorreportagem do dia acontece pela manhã, com a chefe de redação, a diretora de comunicação e ele próprio. A pauta pode surgir das discussões em plenário ou até mesmo de assuntos “extra-pauta” que sejam mais relevantes. Matérias de gaveta ou de homenagens e entregas de medalhas ficam para quintas e sextas-feiras, quando não há sessão plenária. O grande desafio, segundo ele, é fugir da repetição e do marasmo.

“No início tive certa dificuldade em encontrar uma identidade própria pra Câmara. Tanto em caracteres quanto em roteiro e material gráfico. Não conhecia a área e nem quem desenvolvia trabalhos parecidos, muito menos em política onde é bem complicado variar por conta do cenário”, disse Robson ressaltando que a falta de experiência o fez passar alguns meses fazendo o mesmo tipo de trabalho, mas depois algumas alternativas foram implementadas por ele.

“Criamos o ‘Fala Vereador’, onde o parlamentar tem um pouco mais de um minuto pra comentar sobre seu projeto em discussão naquele dia. Outra iniciativa recente é a de criar vídeos com mais sonoras e mais tempo de imagens de apoio. Esse trabalho tem a intenção de somar ao texto no site gerando o multimídia. O vídeo complementa o material escrito, ao invés de repeti-lo”, comentou.

Robson acredita que o primeiro ano de trabalho serviu de aprendizado, tanto para ele quanto para a CMM, e também para a consolidação do formato. “Entender a melhor forma para trabalhar com a videorreportagem, afim de explorar da melhor forma os assuntos, tem sido o real desafio. Inovar e crescer são as metas para os próximos meses. Quero criar uma forma de trabalho própria para essa temática política, e ser referência, na área”, concluiu.

Compartilhe nas redes sociais